.: Loucos Pelo Botafogo - Região dos Lagos :.

Home Colunistas ZÉ FOGAREIRO: CABEÇA ERGUIDA

ZÉ FOGAREIRO: CABEÇA ERGUIDA

E-mail Imprimir PDF

 ZÉ FOGAREIRO: CABEÇA ERGUIDA
 
Fala, Zé! O golpe que levamos na última quarta-feira não foi nada fácil. Mesmo. Saímos do estádio, no Sul do país, completamente devastados, desgastados, descrentes. Esfregar a cabeça nem era sinal de desânimo, era sinal de cansaço pela exaustão emocional. Mas saber lidar com o fracasso é uma virtude, infelizmente, seleta. Uns digerem de uma forma, e outros, de outra. Isso é normal. Mas daí a blasfemar contra o Clube, botando a culpa em uma “maldição” ou um “carma” indecifrável para a derrota… Ah! Aí é demais pra mim, Zé! Continuarei guardando atitudes assim na gaveta da infantilidade ou similares. E continuarei exaltando o espírito da confiança em dias melhores, porque acredito de verdade que a palavra tem poder. Em breve veremos de novo o nosso BOTAFOGO CAMPEÃO! Não é da boca pra fora. É do coração pro teclado, com emoção.
 
O Botafogo segue, independente de acharem que é o fim ou o recomeço. E, por estar no ápice da temporada, o time segue também sem tempo de sentar no meio fio pra chorar e contabilizar os erros (até me predisponho a enumerá-los mais pra frente, Zé, mas farei isso com mais calma e terreno). Então, juntos, vamos reerguer a cabeça e cobrar, no mínimo, mais uma classificação direta para a Libertadores. Porque só ela, somente esta classificação continental poderá salvar as nossas finanças em 2018. Abandonar o Botafogo não vamos nunca, então vamos vestidos com a esperança, porque de negativismos já bastam aqueles que os rivais tentam nos impor com gozações. Sem sucesso, claro.
 
Assim como na revoltante eliminação contra o flamengo, Zé, fomos retomar o trilho das vitórias, novamente, fora de casa pelo Brasileirão (lembra daqueles 3 pontos importantes contra o bahia, lá na Bahia, Zé?). Só que dessa vez a treta foi lá em Curitiba, numa virada de placar bem mais épica e marcante. Perfeito pra gente reanimar quem está cabisbaixo. No primeiro tempo, cometemos um pênalti imaturo, aos 35’. Agora, segue aqui um conselho de amigo pra quem não torce pro Fogão: evite comemorar precocemente pênalti marcado a seu favor contra nós. Temos no gol o Gatito, que – de 13 cobranças encaradas na temporada – agarrou somente OITO. E assim se repetiu o domínio do goleiro no cara a cara da marca de cal. O Carleto, que se acha o Roberto Carlos do real madrid, mas não consegue ser Cortez do Habib’s, bateu a penalidade cheio de pose e terminou nas mãos do Paraguaio Alvinegro, pra variar.
 
Logo em seguida, o Lindoso cometeu nova falta boba, na porta da nossa área, e o coritiba abriu o placar de cabeça. 0x1 até ali merecido pra eles, porque a nossa proposta foi jogar só no contra ataque e, pouco antes deste lance, perdemos uma jogada imperdoável de 4 contra 1, onde o Roger atirou a redonda pra fora. Quem não faz, le… Pqp! Só xingando mesmo. Não deu pra entender a opção do Jair em inflar demais o nosso meio campo, Zé, entrando com o Gílson de titular no lugar do poupado Pimpão. Bola foraça do nosso técnico. Tanto que, no segundo tempo, ele lançou o Marcus Vinícius e o Guilherme e o time foi bem mais agressivo. Conseguimos virar o placar de forma rápida e convincente, com boas jogadas de ataque. Primeiro o Roger testou um cruzamento de olho aberto: 1×1 lindo. Em seguida, o mesmo Roger lançou o Bruno Silva com velocidade, que cruzou rasteiro pro Guilherme escorar. 2×1 maravilhoso.
 
Não entendi o Roger e o Guilherme se recusarem a comemorar seus gols, como se estivessem ressentidos com algo. Ressentidos de quê, Zé? Se tem alguém pra estar ressabiado e chateado nessa história toda, com certeza esse alguém está na arquibancada Alvinegra e não dentro de campo. Eles precisam comemorar sim, até porque o futebol vive para o gol, coisa que não conseguimos fazer em 360 minutos dos mata-matas mais importantes da jornada. Temos que comemorar sim o que é escasso: gol do ataque.
 
Bem, aos 38’, o Carleto empatou de falta, numa semifalha do Gatito, porque a bola entrou em seu canto de proteção. Mas esse tem crédito de sobra na casa, Zé, tá suave. A partida dava sinais claros de estar resolvida, mas, sem tempo de respirar, um minuto depois, o João Paulo teve uma calma e frieza impressionantes a nosso favor, mais uma vez. Aí sim, JP: mostra pra eles como é que se comemora um gol importante, num momento mais fundamental ainda. Porra, vamos BOTAFOGO! 3×2 pra reforçar que somos a melhor campanha do returno até aqui, assim como no ano passado. Estamos lá em cima na tabela, Zé, e por enquanto só a vaga direta pra Libertadores interessa.
 
Temos agora uma semana inteira de trabalho e, domingo que vem, às 11h da manhã, temos tudo pra lotar o Niltão e surpreender todo o Botafogo, mostrando que estamos com a Estrela Solitária acima de tudo. Se essa diretoria tiver um mínimo de visão de oportunidade, faz uma baita promoção de ingressos pra atrair os Alvinegros de novo pra dentro de casa. Vamos que vamos. Foooogooooo! Abraço, Zé!
 
Share
 

Joomla inotur picma